2004 -Cinco anos de um grande Santo André


Exatamente há cinco anos, em 30 de junho de 2004, o Esporte Clube Santo André conquistava o Brasil em uma partida memorável. Dentro do Maracanã, com mais de 70 mil pessoas o Ramalhão derrotava o poderoso Flamengo por 2 a 0 e tornava-se campeão da Copa do Brasil.
O Ramalhão se credenciou ao torneio nacional após vencer a Copa FPF, que indicava seu campeão ao torneio. A história do campeonato começou em 18 de fevereiro de 2004, na cidade de Ipameri - GO, no Estádio Durval F. Franco. O técnico era um velho conhecido: Luiz Carlos Ferreira. A estréia não poderia ser melhor: placar de 5 a 0 para o Ramalhão, gols de Makanaki, Jean Carlos (2 gols), Fabio (contra) e Elvis.
O segundo jogo já trazia o primeiro desafio do Ramalhão. A estréia do time no Bruno José Daniel aconteceu na segunda rodada, dia 24 de março contra o Atlético Mineiro. O time jogou com Junior, Alexandre, Dedimar, Alex e Romerito; Marquinhos, Cleber Gaucho, Elvis e Vander; Fumagalli e Edimilson. No final, um fantástico 3 a 0 para o Ramalhão, gols de Edimilson, Dedimar e Jean Carlos, que entrou no lugar do próprio Edimilson.
O jogo de volta aconteceu dia 07 de abril, no Mineirão em Belo Horizonte. A ausência total de uma mídia favorável mesmo em sua própria cidade fazia com que os paulistas não pudessem ver o jogo confiantes em uma classificação. Luiz Carlos Ferreira tratou de armar uma retranca, jogando com Junior, Alexandre, Dedimar, Alex e Da Guia; Marquinhos, Gabriel, Ramalho, Romerito e Vander; Makanaki. O jogo foi muito difícil, com o Atlético jogando em cima do Ramalhão. Ainda jogaram Sergio Soares, Careca e Elvis. Final, Atlético Mineiro 2 x 0 Santo André, gols de Marcio Araujo e Marcio Mixirica.
A terceira rodada foi decisiva para o time. Saíram Alexandre, Marquinhos, Cleber Gaucho, Fumagalli, Vander, Edimilson entre outros. O jogo era contra o Guarani, no Brinco de Ouro da Princesa no dia 14 de abril. Um time remontado e frágil jogou todo na defesa e conseguiu um ótimo empate com gols. Ao final um gol de Dedimar para o Ramalhão um gol de Viola para o Guarani. Aliás, Viola foi o personagem desse confronto. Após o empate no primeiro jogo, o centroavante sempre falastrão declarou a imprensa campineira que mudaria o seu nome caso o Guarani não se classificasse.
Para o jogo de volta, três estréias no Santo André: Dirceu, Osmar e Sandro Gaucho chegavam para a disputa da série B.O jogo foi disputado somente em 05 de maio e terminou em um empate sem gols. Santo André classificado e restou a Viola tentar se explicar.
Novo desafio para o Santo AndréO poderoso Palmeiras, sendo que o primeiro jogo seria disputado no Bruno José Daniel. Assim em 12 de maio de 2004, 6339 pessoas compareceram ao estádio para ver uma partida histórica. O time do Ramalhão já não contava mais com o seu técnico. Foi apenas mais um que foi embora ao final do campeonato regional. Seu substituto foi Péricles Chamusca, e o jogo marcou um sensacional 3 a 3, com um golaço de Osmar, Barbieri e Sandro Gaucho marcando os gols do Ramalhão.
Para o jogo de volta, toda a mídia colocava o Palmeiras já na semifinal. A partida foi disputada dia 20 de maio no Parque Antártica. O Santo André saiu na frente com Sandro Gaúcho aos doze minutos do primeiro tempo, mas o Palmeiras empatou aos 17 e virou o jogo aos 18 do primeiro tempo. As 20 Osmar empatou e aos 39, Baiano fez 3 a 2. Para o segundo tempo o Santo André confiava na marcação de mais um gol, pois o placar de 3 a 3 levaria o jogo aos pênaltis. Porém, Vagner Love fez 4 a 2 aos 23 minutos do segundo tempo. O Ramalhão não desistiu e chegou a 4 a 3 com Sandro Gaúcho, aos 34 do segundo tempo. Somente um milagre poderia tirar a classificação do Palmeiras dentro do Parque Antártica. E o milagre veio aos 40 minutos do segundo tempo. Bola no primeiro pau e cabeçada certeira de Tassio. O placar final marcou incríveis 4 a 4 e o Santo André eliminava o Palmeiras.
A semifinal não poderia ser disputada no Bruno José Daniel, pois pelo regulamento o estádio não comportaria o jogo. O adversário era o desconhecido 15 de Novembro de Campo Bom-RS. A partida então foi marcada para o Pacaembu no dia 26 de maio. Comenta-se que o público não foi avisado que o jogo teria sido marcado para o Pacaembu e que teriam ido ao Anacleto Campanella, em São Caetano. Na realidade o que ocorreu foi uma previsão completamente equivocada dos organizadores, pois foram colocados apenas 5000 ingressos a venda e 4406 foram vendidos.
O jogo não foi bom para o Ramalhão. No final, uma derrota por 4 a 3, gols de Barbieri, Tassio e Osmar. O detalhe é que após 20 minutos do segundo tempo, o placar marcava 4 a 1 para o 15. O placar final foi o melhor que poderia ter acontecido aquela noite.
O jogo de volta foi disputado no Olímpico dia 9 de junho, pois o Estádio do 15 também não tinha condições pelo regulamento. O Ramalhão precisava de uma diferença de 2 gols para se classificar. Porém o 15 saiu na frente, com Belmonte. Sandro Gaucho marcou duas vezes e Makanaki deu a classificação para a final do campeonato para o Santo André.
O primeiro jogo do sonho da conquista da Copa do Brasil foi disputado no Parque Antártica contra o Flamengo. Devido a uma suspensão do técnico Péricles Chamusca, o time foi comandado por Sergio Soares, que havia decidido encerrar sua carreira. O jogo foi marcado pelo equilíbrio e ao final o placar marcava 2 a 2. Osmar e Romerito marcaram para o Santo André.
O segundo jogo era barbada. Flamengo já se declarava campeão. Contratou Ivete Sangalo para cantar a música "poeira" que embalava as arquibancadas rubro-negras. Mas do outro lado havia um time determinado a não se entregar nunca.
No final, vitória histórica pelo placar de 2 a 0. Sandro Gaucho e Elvis deram números finais à campanha cheia de altos e baixos, com três técnicos e vários jogadores saindo e sendo contratados. Os heróis da campanha que mantiveram vivo o orgulho de ser andreense foram:
Julio Cesar, Nelsinho, Dedimar, Alex, Dirceu, Gabriel, Osmar, Ramalho, Sandro Gaucho, Elvis, Romerito, Junior Costa, Da Guia, Ronaldo, Dodô, Careca, Tassio, Makanaki, Diego, Barbieri, Marquinhos, Gustavo, Celinho, Marcelo, Sergio Soares, Rafael, Alexandre, Vander, Fumagalli, Cleber Gaucho, Edimilson, Claudio, Jean Carlos, Edvaldo, Fernando.
Marcelo Alves Bellotti- Ramalhonautas
Share on Google Plus

Sobre Breno Junior

Lado a Lado com o esporte do Grande ABC. Amante e entusiasta do Esporte no interior do ABCDM.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial