Triângulo EC chega ao cinquentenário

Clube amador de São Bernardo comemora aniversário neste mês com ações voltadas à comunidade do Bairro Assunção






Ser mais do que simplesmente um time de várzea. Há 50 anos esta é a proposta do Triângulo Esporte Clube, do Bairro Assunção, em São Bernardo. O aniversário de meio século, comemorado neste mês, reuniu cerca de 700 pessoas da comunidade no último dia 11 e segue até o fim do mês. Neste fim de semana, na sede, acontecem jogos comemorativos. Entre eles, o duelo de domingo (28/11), às 11h, contra o Esporte Clube Jerusalém.



Motivo para os festejos não faltam. O cotidiano do Triângulo movimenta os moradores locais. São cerca de 240 crianças e adolescentes na escolinha de futebol. “Nós treinamos a molecada de terça a sexta-feira”, afirma Alberto Francisco de Souza, o Betinho, diretor-geral de Esportes.



“Aqui é onde os meninos recebem uma parcela de educação para terem uma visão respeitosa com o próximo”, complementa Divaldo Bizzoto, presidente do clube desde abril.



A história da equipe nos remete ao início da década de 1960. Betinho tem 64 anos e viveu a maior parte deles dentro do clube. “O Triângulo nasceu na Praça Pedro Marçon, onde um grupo do bairro costumava jogar bola. Um dia decidiram montar a equipe”, lembra o diretor. O nome, sugerido por Geraldo dos Santos, um dos fundadores, é uma referência ao formato da praça.



Já Bizzoto lembra que o local servia como um ponto de encontro, onde as necessidades dos moradores eram todas debatidas. “Ali se reuniam jovens e colonos da Região para fazer estas discussões”, destaca o dirigente.



A atividade comunitária segue até os dias de hoje. Não é só o futebol amador que movimenta o campo. A terceira idade, por exemplo, realiza encontros e pequenas festas no prédio existente dentro do terreno. “Temos um local onde toda comunidade participa”, orgulha-se o presidente.



Mas a trajetória do Triângulo não foi nada fácil. De tempos em tempos sua sede era mudada de lugar. Foram quatro vezes ao todo. Após conseguir um espaço definitivo, outra batalha: erguer o prédio atual. “No começo da década de 1990, arrecadamos dinheiro com rifas e bingos para podermos fazer a obra”, recorda Bizzoto. Em 1996, o espaço foi ampliado novamente com recursos dos moradores. Alguns jogadores até chegaram a emprestar dinheiro para a construção.

Alicerçada com suor e amor, a história da equipe emociona quem vive seu dia a dia. “Eu durmo



Triângulo, sonho Triângulo. É minha segunda casa, minha segunda pele. Aqui eu me sinto bem”, confessa um emocionado presidente.

Por: Walter Fernandes  (wfernandes@abcdmaior.com.br)

Foto: Divulgação

Fonte: http://www.abcdmaior.com.br/
Share on Google Plus

Sobre Breno Junior

Lado a Lado com o esporte do Grande ABC. Amante e entusiasta do Esporte no interior do ABCDM.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial