TORCIDA CULPA DIVERGÊNCIAS POR QUEDA ANDREENSE

Nem a possível renúncia do presidente do Santo André sensibiliza os torcedores


Depois de três descensos seguidos (2009 e 2010 no Campeonato Brasileiro e em 2011 no Paulista), os líderes das torcidas organizadas do Santo André (Tuda, Fúria Andreense e Esquadrão) argumentaram nesta segunda-feira (11/04) que o Ramalhão “precisa nascer de novo”. A uma rodada do término da competição, o Ramalhão está matematicamente
rebaixado, em 19º lugar, com 15 pontos e apenas duas vitórias em 18 jogos.
Nem uma possível renúncia do presidente Ronan Maria Pinto, que estaria decepcionado com a pífia campanha, sensibilizou os torcedores, que apontam três motivos para a campanha no Paulista: divergências entre os cartolas da gestão empresarial e do setor social do clube, incompetência da maioria dos diretores do departamento de futebol e falta de apoio do prefeito Aidan Ravin (PTB) que, de acordo com as uniformizadas, abandonou a manutenção do estádio Bruno Daniel.
“O modelo empresarial não vingou porque ocorreram divergências entre os cardeais do clube. Todos conhecem os seus nomes de longa data, nem preciso falar quais são. O Ronan é o menos culpado”, disse Ovídio Simpionato, fundador da Tuda (Torcida Uniformizada Dragão Andreense).
“Os ex-presidentes (Jairo Livolis e Celso Luiz de Almeida) não deram o respaldo necessário ao departamento de futebol. Contrataram mal. Há seis anos que a base não revela ninguém na Copa São Paulo de Juniores”, opinou Renato Ramos, presidente da Fúria.
O Santo André pega o Palmeiras nesta quarta-feira (13/04), 21h50, no Brunão, no jogo da ida das oitavas de final da Copa Brasil. Há apenas oito mil lugares liberados.


Por: Edélcio Cândido  (edelcio@abcdmaior.com.br)

Fonte: www.abcdmaior.com.br
Share on Google Plus

Sobre Breno Junior

Lado a Lado com o esporte do Grande ABC. Amante e entusiasta do Esporte no interior do ABCDM.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial