3 de mai de 2011

OBRAS DO BRUNO DANIEL CUSTARÃO R$ 8 MILHÕES

Prefeito de Santo André, Aidan Ravin, vistoriou início das reformas do estádio nesta terça


Enfim, nesta terça-feira (03/05), o prefeito de Santo André, Aidan Ravin (PTB), deu o pontapé inicial que oficializa a reforma do estádio municipal Bruno José Daniel, inaugurado em 14 de dezembro de 1969. O local ganhará visual novo ao custo de
, aproximadamente, R$ 8 milhões com recursos da Prefeitura, que vai buscar parceiros junto às grandes empresas da cidade para diminuir o impacto no fluxo de caixa. Mas, de acordo com a administração, com ou sem parceiros o estádio será reformado.
Acompanhado de forte ‘staff’ da Prefeitura, do secretário de Saúde e de Gabinete, Nilson Bonome, dos diretores da Pasta de Esporte, Almir Padalino e Salvo Mello, além do secretário de Obras, Alberto Casalinho, Aidan Ravin vistoriou o Brunão, observou muitos dos problemas, deu uma martelada no concreto de uma mureta e anunciou o que muitos esperavam. “Enfim, chegou o dia. Eu queria presentear o público com um estádio moderno, mas o custo seria de R$ 50 milhões e não temos esse dinheiro. Fica como plano B”, afirmou o chefe do Executivo, já dentro de campo e com um capacete azul.
Ninguém do Ramalhão
Sem nenhum dirigente do departamento de futebol do Santo André ou da Saged (Santo André Gestão Empresarial Desportiva) para prestigiar o evento, o prefeito deu início à reforma com a retirada de parte das cadeiras de polietileno, do setor coberto, que tanto o clube e a torcida cobravam. “A empresa Logic Engenharia tem o cronograma das reformas que vai se estender entre oito e nove meses. A inauguração oficial deve ocorrer entre janeiro ou fevereiro de 2012. Mas é possível que termine antes”.
Na primeira etapa, com a retirada da laje que hoje cobre as numeradas, o Ramalhão poderá disputar normalmente a Série C do Brasileiro, que começa na segunda quinzena de julho. Quando as obras estiverem 100% concluídas, segundo Aidan, o estádio terá capacidade para 16 mil pessoas, sendo 10 mil nas arquibancadas descobertas e seis mil onde hoje é o setor coberto. As cadeiras desaparecem, a cobertura de concreto será demolida e haverá potentes torres de iluminação. A área destinada à imprensa será ampliada, ganhará novo elevador e o gramado passará por reforma. Ao redor do estádio também será providenciado ajardinamento e bilheterias melhor localizadas, além de vestiários e sanitários mais adequados ao público.
Entre os torcedores presentes ao evento, sobraram críticas aos “cartolas” do Santo André. “Cadê o Ronan, Romualdo Magro, Jairo, Celso e companhia? Eles tinham que comparecer. Achei uma falta de respeito o que esta cartolada faz com o nosso futebol”, reclamou Antonio José Santos, aposentado, morador das proximidades do Brunão. O assessor de imprensa do Santo André, Miguel Fagundes, disse que representava o clube no evento.


Por: Edélcio Cândido  (edelcio@abcdmaior.com.br)

Foto: Amanda Perobelli

Fonte: www.abcdmaior.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário