VADÃO CHEGA, ESTREIA SEXTA E QUER SACUDIR O AZULÃO


Nome de peso, Oswaldo Alvarez já dirigiu o elenco em 2008 e 2009

O novo técnico do São Caetano, Oswaldo Alvarez, o Vadão, precisou apenas de 23 minutos nesta tarde de quarta-feira (06/07) fria para responder às perguntas da imprensa no saguão do estádio Anacleto Campanella e ser apresentado como o mais
novo “salvador da pátria” do time, que está na 14ª colcoação com dez pontos ganhos na Série B do Campeonato Brasileiro. O treinador fechou contrato até 31 de dezembro e sua missão é “despertar” o elenco, que nos últimos nove jogos obteve apenas duas vitórias para tristeza da torcida da Região.
Após apresentar-se, o comandante entrou no campo e reuniu os atletas em um círculo para uma longa conversa. O elenco treina nesta quinta-feira (07/07), às 9h, e às 15h viaja para Goiânia, onde encara o Vila Nova na sexta-feira (08/07), às 21h. O presidente do clube, Nairo Ferreira de Souza, com compromissos inadiáveis, não foi à apresentação.
Nascido em Monte Azul, Interior de São Paulo, há 55 anos, o experiente Vadão chega para interromper o ciclo negativo da diretoria do Azulão de sucessivas trocas de treinadores. Só em 2011, o clube contou com Toninho Cecílio, Márgio Griggio (interino), Ademir Fonseca e Márcio Goiano, que pediu demissão na última segunda-feira (04/07).
Velho conhecido
“Quem me conhece sabe que estive no clube entre 2008 (Série B do Brasileiro) e 2009 (Campeonato Paulista) e volto com autonomia. Minha estreia será já nesta sexta-feira, no Serra Dourada, em um jogo muito importante. É um desafio, mas gosto de viver os bons e os momentos em que temos de mudar o clima de preocupação para maior tranqulidade. Considero esse elenco muito bom e não vou pedir nenhum reforço agora. Quero sentir o grupo, quero uni-lo e ter vida longa”, disse Vadão, que, do atual elenco, já conhece o goleiro Luiz, Walter Minhoca, Eli Sabiá e Nunes.
Nome de peso, Vadão estreia em um novo clube pela 19º vez, registra na carreira seis acessos e soma passagens por São Paulo, Bahia, Atlético-PR, Guarani, Bahia, Vitória, Ponte Preta, 15 de Piracicaba, Matonense e Portuguesa, entre outros. Ficou famoso ao criar o ‘Carrossel Caipira’, no Mogi Mirim, em 1992, com Leto, Válber e Rivaldo.
No Azulão, quer muito espírito de luta e personalidade de todos para dar a volta por cima. “Futebol é imprevisível. Com todos esses craques, por exemplo, na seleção brasileira, ficamos no empate com a Venezuela, e pergunto: cadê o Neymar, o Ganso, o Elano, o Lucas? Outro dia, o Messi foi horroroso. A Argentina foi horrorosa. O São Caetano tem elenco forte, jogadores experientes, como o goleiro Luiz e o meio Augusto Recife, o atacante Nunes e podemos, sim, reverter o quadro”, finalizou. 


Por: Edélcio Cândido  (edelcio@abcdmaior.com.br)

Foto: Luciano Vicioni

Fonte: www.abcdmaior.com.br
Share on Google Plus

Sobre Breno Junior

Lado a Lado com o esporte do Grande ABC. Amante e entusiasta do Esporte no interior do ABCDM.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial