Ginasta de São Caetano intensifica treinos para Olimpíadas de Londres

Atleta Arthur Zanetti, de 22 anos, se destaca na seleção brasileira
 
Nascido em 16 de abril de 1990, em São Caetano, Arthur Zanetti será um dos ginastas que irá representar o Brasil nas
Olimpíadas de Londres, de 27 de julho até 12 de agosto. O ginasta atualmente compete e treina pelo SERC (Sociedade Esportiva Recreativa Cultural) Santa Maria/São Caetano e tem chances de conquistar o ouro olímpico. Para conquistar o lugar mais alto do pódio na competição, o atleta aposta em uma nova série que está sendo treinada intensamente no ABCD.

O atleta contou que no novo treino que está sendo feito nas argolas (quando o atleta fica “pendurado” segurando as argolas) faz uma flexão para cima, para baixo e depois novamente para cima, sem parar. “É uma série difícil e é preciso estar muito concentrado para que o movimento possa ser feito com muita precisão. Tenho trabalhado para que essa série possa ocorrer da melhor forma possível e espero que no dia da competição, em Londres, consiga efetuá-la 100% e possa conquistar uma boa pontuação”, disse.

Em entrevista ao ABCD MAIOR, o ginasta analisou que a Seleção Brasileira de Ginástica tem condições de obter bons resultados durante os jogos olímpicos de Londres. “Vamos poder contar com força máxima na competição. Os atletas estão treinando muito e certamente devem dar o máximo de si ao longo do torneio. Sabemos que vamos enfrentar adversários com muita experiência, mas acredito que a garra e a persistência de todos os ginastas devem fazer a diferença”, finalizou.
Rotina - O atleta ressaltou que de segunda, terça e quinta-feira, acorda às 8h e vai até ao ginásio para um primeiro treino até as 11h30. Depois disso, faz uma pausa para almoçar no refeitório do complexo esportivo e realiza um segundo treino das 14h às 18h.De quarta e sexta-feira ocorre um treino em apenas um período  que começa às 14h  e vai até as 18h. Após a maratona no ginásio, o ginasta encara o curso de Educação Física, em uma universidade em São Caetano.

  Zanetti afirmou que é complicado conciliar treinos e as aulas do curso de graduação, mas destacou que acha importante poder continuar estudando. “Uma hora a nossa carreira acaba e é preciso estar preparado, ou seja, é preciso ter uma profissão para seguir. Por isso, tento me esforçar para poder ter minha carreira de atleta, mas em paralelo sigo estudando para que no futuro possa continuar trabalhando no esporte”, salientou.

O atleta também contou que nos momentos de lazer busca sair com a namorada para jantar ou então ir ao cinema. “Quando vou a algum restaurante não dá para abusar e comer um monte de bobagens, por que senão na segunda-feira o desempenho no treino vai por água por abaixo. Sendo assim, tento seguir as recomendações da minha nutricionista que fala que posso comer apenas uma “fileirinha” do tablete de chocolate. É dureza, mas é preciso estar com peso em dia para conseguir bons resultados nos treinos”, ponderou.
História  - Zanetti contou que entrou na ginástica olímpica quando tinha sete anos de idade. “Tudo começou quando ainda estava na pré-escola. Na época era mais baixo que os outros alunos, mas também bem rápido, e também era um pouco mais forte que outros meninos da minha sala. Meu professor de Educação Física observou todas essas questões e falou com a minha mãe, que me levou para fazer um teste na SERC Santa Maria/São Caetano. Fiz um teste de início e acabei passando. Aos poucos, fui treinando e gostando. Continuo até hoje”, disse.

Falando em referências na ginástica, o atleta apontou Yuri van Gelder (holandês) como um dos principais ginastas que admira. “É um atleta muito esforçado que já conquistou muitos resultados positivos. Sempre o tive como referência e hoje em dia já estou competindo diretamente com ele em alguns torneios. Estou trabalhando para poder obter grandes resultados como ele e até o momento tenho conseguido boas pontuações nas competições e algumas medalhas”, destacou.

Sobre a oportunidade de participar de competições internacionais, o ginasta contou que até há pouco tempo competia apenas em solo nacional, mas em 2007 foi convocado pela primeira vez para integrar a Seleção Brasileira para disputar o Mundial de Stuttgart (Alemanha). “Foi uma convocação inesperada. Eu me emocionei muito.”, disse.


  Por: Felipe Rodrigues  (felipe@abcdmaior.com.br)

  Foto: Rodrigo Pinto 

http://abcdmaior.com.br/noticia_exibir.php?noticia=41921
Share on Google Plus

Sobre Breno Junior

Lado a Lado com o esporte do Grande ABC. Amante e entusiasta do Esporte no interior do ABCDM.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial