PAGODE E BOLO DEVEM MARCAR PROTESTO NO BRUNO DANIEL

Ramalhão joga sábado, com portões fechados; há um ano torcedor não entra no estádio

O Santo André encara o Brasiliense, neste sábado (08/09), às 15h30, mais uma vez com portões
fechados no estádio Bruno Daniel, pela Série C do Brasileiro. Em 8º lugar com 12 pontos ganhos, contra 11 pontos do 9º colocado Brasiliense, mais do que nunca o Ramalhão precisaria do grito e do apoio da torcida, mas os portões ainda não estão liberados em função do imbróglio judicial do Ministério Público e Prefeitura. Descontentes, líderes das torcidas organizadas Fúria Total e Tuda (Torcida Uniformizada Andreense), prometem “mais barulho fora do que dentro do estádio”.
O drama - De acordo com o diretor de Futebol, Sérgio do Prado, a cada duelo em casa sem público o Santo André tem de pagar cerca de R$ 6 mil dos cofres do clube, entre diversos gastos internos desde gandulas, médico, enfermeiros e maqueiros. Já são quatro partidas em casa, sem torcida, e mais três em Araras neste campeonato. No total, são mais de R$ 40 mil de custo sem arrecadação.

Um dos diretores da Fúria, que prefere não revelar o nome, convoca torcedores da entidade e até membros da Escola de Samba para estarem presentes ao lado dos simpatizantes do Ramalhão. Os torcedores já se acostumaram a assistir aos jogos normalmente no Brunão, mesmo do lado de fora, subindo em muros e em árvores.

 A Tuda também terá representantes. Um grupo de pagode estaria contratado para tocar em frente aos portões principais do estádio. O jornalista, humorista, cartunista e publicitário Danilo Gentili, ex-CQC e atual apresentador do programa ‘Agora é Tarde’, ambos da TV Bandeirantes, deve estar presente. Aliando-se ao movimento dos “sem estádio”, o apresentador poderá ser convidado para a nova torcida, a “Tribo do Ramalhão”.

Aniversário - “O jogo com o Brasiliense marca um ano de estádio calado. Com isso, o clube perde, os jogadores ficam desmotivados e a cidade cai no descrédito esportivo, o que é uma pena. Por isso, vamos levar um bolo com o símbolo do Santo André, bater palmas e soltar fogos antes de o jogo começar como protesto pelo fechamento dos portões”, diz o dirigente da Fúria. A última partida do Santo André com portões abertos foi em 9 de setembro de 2011, contra a Chapecoense, pela Série C. O Santo André levou 970 pagantes e o time perdeu por 2 a 1, com o segundo gol sofrido no último minuto.

O presidente da Tuda, Ovídio Simpionato, há mais de 30 anos torcedor do Santo André, disse nesta quarta-feira (05/09) que tem ido aos jogos e ficado do lado de fora. “Sinceramente, eu lamento, mas não falo mais sobre o assunto. Esgotou a paciência de todos”, desabafou. No elenco de atletas e comissão técnica, o caso é proibido de se comentar.

Foto: Luciano Vicioni

Share on Google Plus

Sobre Breno Junior

Lado a Lado com o esporte do Grande ABC. Amante e entusiasta do Esporte no interior do ABCDM.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial