RAMALHÃO FOI CRUCIFICADO POR NÃO JOGAR COM TORCEDORES, DIZ DIRETOR

Sergio do Prado criticou prefeitura e afirmou que nunca viu tanta indiferença no futebol com um clube de futebol

Após novela que durou mais de um ano, o estádio Bruno José Daniel foi liberado para receber torcedores, mas não a
tempo de ter os portões abertos para o jogo deste sábado (20/10) entre Santo André e Duque de Caxias (RJ). Indignado, o diretor de futebol do Ramalhão, Sergio do Prado, não poupou críticas à Prefeitura e diz que time foi “crucificado”.
“Não há registro no futebol profissional de tamanha indiferença com um clube que representa uma cidade. O Santo André, de uma história bonita e de muitas conquistas, foi relegado pelo poder público de seu município, que o deixou sem casa”, desabafou o dirigente.
A prefeitura andreense só liberou as documentações do estádio na última terça-feira (16/10), mas o aval da promotoria da defesa do consumidor de São Paulo saiu apenas depois do prazo mínimo exigido para a comercialização de ingressos: a 72 horas da partida, de acordo com o estatuto do torcedor. Com o único objetivo de não cair para a Série D do Brasileiro, Prado já pensa na próxima temporada.
“A esperança de todos no clube está depositada na esperança de que em 2013 o Ramalhão volte a ter o Bruno José Daniel, que é a sua casa, e iniciar o projeto de sua reconstrução, tanto no Estadual quanto na competição nacional, pois em 2012 fomos verdadeiramente crucificados”, completou o cartola.

Por: Antonio Kurazumi  (kurazumi@abcdmaior.com.br)

Share on Google Plus

Sobre Breno Junior

Lado a Lado com o esporte do Grande ABC. Amante e entusiasta do Esporte no interior do ABCDM.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial