CAD AMEAÇA SAIR DE DIADEMA E FECHAR AS PORTAS POR CAUSA DE ESTÁDIO

Declaração do prefeito Lauro Michels gerou confusão

A semana começou perfeita para o esporte de Diadema, com a apresentação dos dois clubes que vão defender a cidade pela primeira vez no futebol profissional. Tudo estava na paz até uma declaração do
prefeito Lauro Michels na terça-feira (23/04) relativa ao estádio do Inamar, reformado para ser o palco dos jogos da Segunda Divisão do Campeonato Paulista. O chefe do executivo prometeu ao Água Santa a concessão da praça esportiva, causando a revolta do presidente do CAD (Clube Atlético Diadema).
“Como vou jogar num estádio com as cores do Água Santa? Não tem cabimento pedir licença a eles para entrar lá. Eu fecho o time, mas não jogo no campo do adversário. Vou na Federação (Paulista de Futebol) e tento transferir nossas partidas como mandante para a Javari, campo do Nacional ou até para o Baetão, em São Bernardo, se isso acontecer”, desabafou o dirigente.
A prefeitura renovou com o CAD a concessão do Taperinha até 2017 e é nisso que Michels se apoia para retribuir o Água. Fala em condições de igualdade. Para Lofreta, porém, não é bem por aí. “É fácil receber como doação um bem público novinho (O Inamar foi reinaugurado em janeiro ao custo de R$ 5 milhões) em folha e que não precisa de manutenção. Quero ver pegar um terreno abandonado, ponto de usuário de drogas e transformar em um CT (referindo-se ao Taperinha) como fizemos”, comparou o dirigente, que cobrará da prefeitura o ressarcimento do valor que desembolsou na reforma do Taperinha caso a entrega do Inamar ao Água se transforme em realidade – a ideia de Michels é que a proposta seja votada em maio pela Câmara. O clube diz ter gasto R$ 800 mil.
“Nem tínhamos a obrigação de gastar esse valor, mas quando assumimos lá (Taperinha) não havia condições de uso. O Inamar não exige manutenção pois tem gramado sintético e as arquibancadas já estão prontas”, acrescentou o presidente, que não hesitará em correr atrás do que considera justo, inclusive na justiça se preciso. “Obviamente utilizaremos todos os recursos jurídicos, inclusive tribunal de contas, para protestar contra essa decisão absurda se realmente se tornar realidade”, pontuou Lofreta.
Por meio da assessoria de imprensa, o ABCD Maior encaminhou perguntas para a prefeitura, mas não recebeu as respostas até o fechamento desta edição. Também procurado pela reportagem, o secretário de esportes Antonio Marcos Ferreira não retornou às ligações.
Água Santa - A despeito dessa polêmica, CAD e Água Santa estreiam neste fim de semana na Segunda Divisão, que marcará também o debute de equipes de Diadema no futebol profissional. Na terça-feira (23/04), o Água mostrou o elenco à imprensa e, com cerca de 60% dos jogadores oriundos da cidade, gastará R$ 80 mil por mês para pagar o elenco. O ex-volante Capitão, que fez história na Portuguesa e passou pelo São Paulo, é o gerente de futebol. 


Por: Antonio Kurazumi  (kurazumi@abcdmaior.com.br)

Share on Google Plus

Sobre Breno Junior

Lado a Lado com o esporte do Grande ABC. Amante e entusiasta do Esporte no interior do ABCDM.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial