SÃO CAETANO EMPATA E É REBAIXADO PARA A SÉRIE A-2 DO PAULISTA

Azulão precisava vencer, mas ficou apenas no 1 a 1 com o Penapolense; time do ABCD não disputa a Série A-2 há 13 anos

A luta acabou. Sem forças e repleto de erros durante o Campeonato Paulista, o São Caetano acabou
rebaixado para a Série A-2. Na tarde deste sábado (13/04), o Azulão empatou com o Penapolense por 1 a 1, fora de casa, e chegou aos 13 pontos, insuficientes para sair da zona de rebaixamento na última rodada, quando apenas cumprirá tabela diante do Paulista, no estádio Anacleto Campanella.
O Penapolense não deu respiro aos visitantes desde o primeiro minuto. Com intensidade, os mandantes atacaram pelos lados e sufocaram a zaga do ABCD. A trave e o goleiro Fabio salvaram no início. Armado em um 4-3-3 pela necessidade da vitória, o Azulão passou a buscar a velocidade de Danielzinho e Jobson, e aos poucos criou boas situações. Em lance polêmico, o São Caetano pediu pênalti em bola que bateu na mão do atleta adversário. Quando era melhor no jogo, veio o golpe. Em contra-ataque veloz, Guaru achou Silvinho que tocou na saída de Fabio, abrindo o placar para o Penapolense.
Saiba mais sobre o rebaixamento do São Caetano no programa "De Primeira" do ABCD Maior
No desespero, raça, mas sem sorte, o São Caetano foi atrás do empate. Chegou a acertar a trave, mas o gol não saia, enquanto nos contragolpes quase tomava o segundo. Antes de perder as esperanças, o time do ABCD lutou até igualar. Rivaldo partiu com a bola e deixou para Jobson, que achou Danielzinho. O atacante bateu, o goleiro rebateu e, no rebote, Jobson fez o gol, quase no fim do primeiro tempo.
A necessidade da vitória levou a equipe do ABCD ao ataque na segunda etapa, mas sem muita organização. As tentativas com Jael eram constantes e nos minutos iniciais chegaram a assustar. Conforme o tempo passava, a angústia crescia.
O técnico Daniel Martine resolveu tentar as últimas armas. Tirou Rivaldo e Jael, mais cansados, e colocou Eder e Eduardo. Apesar da vontade de vencer, a falta de inspiração e a aproximação da tragédia tiravam a força do Azulão. No desespero final, o goleiro Fabio queria ir para a área para um cabeceio, mas foi proibido pelo treinador, provocando a revolta do arqueiro. Com chances dos dois lados, o placar não mudou, culminando na tragédia para o Azulão.
"Perdemos alguns jogos em casa que trouxeram esse rebaixamento. Agora aconteceu, paciência", disse Eder, ao PFC. 


Share on Google Plus

Sobre Breno Junior

Lado a Lado com o esporte do Grande ABC. Amante e entusiasta do Esporte no interior do ABCDM.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial