TIMES DO ABCD DESAFIAM AS MAIORES POTÊNCIAS DO FUTSAL NACIONAL

Com investimento modesto, São Caetano e São Bernardo participam da Liga Futsal com elenco repleto de jovens

Embora não seja um esporte olímpico, o futsal é popular no Brasil e por isso gira cifras
altas pelos principais times do País. Falcão, por exemplo, recebe um salário de atleta de futebol profissional. Longe dessa realidade, AD São Bernardo e São Caetano/ Drummond jogam a partir desta segunda-feira (15/04) a 18ª edição da Liga Futsal.
O São Caetano já estreia contra o Corinthians (no ginásio Joaquim Cambaúva, às 19h30), com quem mantinha parceria até 2011, mas que agora tem um poder financeiro bem superior ao representante do ABCD. Para se ter uma noção da diferença técnica entre as equipes, o Timão enfiou 7 a 0 em encontro recente pela Liga Paulista. “Eles têm o maior investimento do campeonato, aquela partida nos serviu de aprendizado para agora”, contou o treinador do São Caetano, Marcel Rodrigues, que sonha com uma performance parecida com a da temporada passada, quando por pouco o time não ficou entre os oito melhores.
“Os problemas existem, mas vale a pena participar da Liga Futsal. Há visibilidade, é um torneio que todo mundo quer jogar. Temos a ideia de formar jogadores, vários atletas que hoje se destacam passaram pelas nossas mãos”, comemora Rodrigues. Do elenco do ano passado, só ficaram cinco peças: o goleiro Vitor, os alas Douglinhas, Rafinha e Portuga e o fixo Vitão. A média de idade é de 22 anos.
Até mais jovem que o vizinho da Região, o São Bernardo debuta na Liga depois de herdar uma vaga alugada da penalty, marca de material esportivo. Assim como acontece na NBA (Liga de Basquete Norte-Americano), as equipes são franquias na verdade e, para fazer rol dos 19 participantes, é preciso comprar um lugar ou fazer igual ao São Bernardo. A desvantagem para o time da Região é a obrigatoriedade de pagar as próprias viagens e as taxas de arbitragem, de responsabilidade da Confederação Brasileira de Futsal em caso de vagas compradas.
A diretoria do Cachorrão ainda corre atrás de patrocinadores para reforçar o elenco. A presença no Nacional apenas se transformou em realidade pela força da Liga de futsal do município, que possui cinco divisões. 
“Todos os atletas foram pinçados em campeonatos da cidade e por isso têm orgulho de vestir a camisa da equipe”, argumenta o presidente do São Bernardo, Nicivaldo Araújo, o Pozinho.
Encarar Orlândia, onde atua o craque Falcão, nem no sonho. “Sabemos que vamos perder essa partida, então não vale gastar dinheiro e energia à toa”, conforma-se o dirigente.

Marcel já foi técnico mais jovem do mundo

Por causa de graves lesões, o treinador do São Caetano, Marcel Rodrigues, abandonou a carreira de jogador de futsal precocemente, aos 20 anos. A notícia foi ruim naquele momento, mas acabou sendo fundamental para que ele virasse o técnico de futebol de campo mais jovem em uma competição oficial da Fifa (Federação Internacional de Futebol). Em 2001, com 25 anos, liderou o time feminino do São Bento no Campeonato Paulista Feminino.
Rodrigues já vivenciou situações curiosas, a ponto de dirigir um elenco – já no futsal – com 11 atletas mais experientes. Até por isso, olhem que ironia, conquistou um resultado histórico no extinto Ford/ São Bernardo: a terceira colocação no Metropolitano. “O trabalho andou por conta disso, não tive nenhum problema e foi o momento em que mais estudei na minha carreira”, recorda.
Aficcionado pelos estudos, assiste vídeos de jogos do mundo inteiro e aproveita para ler bastante. O repertório de livros de futsal, de acordo com o técnico, é vasto. “Leio sobre a parte tática, de estrutura e gestão de equipe. Agora estou querendo fazer um curso sobre gestão de pessoas”, adianta Rodrigues, um dos treinadores mais novos da Liga Futsal, com 36 anos.  


Share on Google Plus

Sobre Breno Junior

Lado a Lado com o esporte do Grande ABC. Amante e entusiasta do Esporte no interior do ABCDM.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial