FUTEBOL AMERICANO PENA PARA JOGAR NO ABCD E ANDA COM PRÓPRIAS PERNAS

Cougars Football e Palestra Corsários levaram quase dois meses para arrumar um campo na Região e, ainda assim, foi cobrado aluguel

Toda vez a mesma história: os abnegados e a eterna luta pelo esporte no Brasil. Apesar de ser uma modalidade praticada por bastante gente em todo o mundo, o futebol americano ainda está em fase de
crescimento no Brasil, e no ABCD não é diferente. Há pouco mais de dez anos, o esporte começou a ser praticado na Região e times foram formados. Alguns sobreviveram e lutam diariamente para não fechar as portas. Dois deles são o Cougars Football e o Palestra Corsários.
A dupla vive com dificuldades no que diz respeito à falta de parceria e estrutura, necessárias na vida de tantos esportistas. O problema mais recente é para jogar em condições apropriadas a Super Copa Paulista, competição que também reúne outras cidades do Estado. Uma prova desses problemas citados foi o torneio regional disputado no domingo (28/04).
Sem conseguir um estádio com nenhuma das prefeituras dos sete municípios, o Cougars, responsável pela rodada, teve que pagar um preço alto para alugar o campo do Olaria, clube de futebol amador de São Bernardo, e ainda bancar uma ambulância. O Corsários venceu por 13 a 0 e assumiu a primeira posição.
“Estamos há meses conversando com os responsáveis pelos esportes das cidades do ABCD, mas não tivemos êxito. Cada um dá um motivo para não nos fornecer um campo, e temos que tirar do bolso para jogar. Até algumas cidades de fora da Região já se ofereceram para ajudar”, relatou o presidente do Cougars, Marcos Sereno. A equipe do dirigente treina em São Caetano aos finais de semana, no campo do Jabaquara, enquanto o Corsários utiliza a estrutura do Palestra São Bernardo. O jogo por pouco não aconteceu em Ferraz de Vasconcelos ou Guarulhos, municípios da Região Metropolitana.
Em São Caetano, o motivo alegado é a falta de verba em um orçamento enxuto para investir na modalidade, mas a prefeitura argumenta que está aberta a ajudar. Em São Bernardo, o secretário de esportes José Alexandre Devesa diz não ter espaço para o futebol americano. “Nossos campos pela cidade já estão em uso e não poderíamos colocar um esporte que normalmente traz defasagem no gramado para usar ao mesmo tempo do futebol. Indicamos o Baetão mas, como é gramado sintético, não aceitaram. Estamos tentando ajudar”.
O local oferecido por Santo André foi o campo do Parque da Juventude Ana Brandão, onde o Courgars treinava, mas que pela falta de estrutura acabou sendo abandonado. Em Mauá, o Pedro Benedetti já foi palco das partidas, mas ficou sem espaço com a volta do futebol. Rio Grande da Serra gostou da ideia, mas não colocou uma praça esportiva adequada à disposição do clube.

Se vira nos 30 - Fundado em 2004, o Cougars Football sempre teve que remar contra a maré para realizar seus objetivos. “Graças a um bom planejamento hoje a equipe realiza seus treinos em um campo particular alugado (Clube União Jabaquara, em São Caetano) e, com boa estrutura, possui CNPJ, equipamentos, parceiros, mas sempre se virando sozinho”, disse Marcos. O time sonha em retomar as aulas para garotos de 11 a 16 anos, mas precisa de apoio. 

Por: Guilherme Menezes  (guilherme.menezes@abcdmaior.com.br)

Share on Google Plus

Sobre Breno Junior

Lado a Lado com o esporte do Grande ABC. Amante e entusiasta do Esporte no interior do ABCDM.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial