ÁGUA SANTA E EC SÃO BERNARDO SE REBELAM CONTRA O CAD

Times não aceitam pontos dados ao Imperador após suposta escalação irregular do zagueiro Reginaldo

Quando o futebol sai do âmbito do jogo e passa para o do judiciário, normalmente o fato não acaba bem. Um problema deste tipo acontece no
Grupo 8 da Segunda Divisão do Campeonato Paulista, que reúne quatro times do ABCD (CAD, Água Santa, Mauaense e EC São Bernardo) e dois de Santos (Portuguesa Santista e Jabaquara).
O Clube Atlético Diadema teve o zagueiro Reginaldo expulso diante da Santista, pela quinta rodada, porém, erroneamente. O árbitro Alexandre Bigai confundiu o atleta no lance da expulsão e o tirou de campo sem motivos, já que o defensor não havia participado da jogada. Reconhecendo o erro, o juiz mudou a súmula após a partida, liberando Reginaldo da suspensão automática.
Aproveitando a correção, o CAD escalou o zagueiro normalmente no jogo seguinte, com o Mauaense - vencido pelo Diadema. A partir daí os adversários se uniram para reclamar da alteração com a FPF (Federação Paulista), dizendo ser ilegal e pedindo a perda de pontos do Diadema.
“Houve um erro grotesco e não se pode arrumar um equívoco dessa forma. Estamos atentos ao caso e esperando uma solução”, disse o gerente de futebol do rival Água Santa, o ex-jogador Capitão. Já o técnico Julio Passarelli, do Esporte Clube São Bernardo, revelou que as equipes farão pressão na Federação.
“Entramos com uma representação forte na Federação. Desse jeito estão favorecendo o CAD. Acredito que a instituição seja séria o suficiente para reconhecer isso e penalizar”, argumentou.
Tranquilo, o presidente do CAD, Paulo Lofreta, não espera grandes problemas quanto ao caso. “O problema é deles (outros times). Falei com o sindicato, com meu advogado e com a Federação antes de tomar a decisão de escalar o Reginaldo e todos me falaram da legalidade do assunto. Estou muito tranquilo, tenho tudo documentado e assinado com a permissão. A Federação irá dar seu parecer, mas acredito que não irá acontecer nada”, aposta.
Voz do especialista - Gustavo Delbin, presidente do IBDD (Instituto Brasileiro de Direito Desportivo), tirou qualquer tipo de culpa por parte do CAD e da Federação Paulista no caso. Referência no assunto, Gustavo revela que mudar a súmula não transgride nenhuma regra.
“Não é irregular mudar a súmula do jogo. É que não é comum, não existem muitos árbitros que voltem atrás na decisão. Se o árbitro fez a retificação e cancelou a expulsão, não tem porque o Reginaldo cumprir a automática na partida seguinte”, explicou.
Delbin foi ainda mais enfático em definir que a situação do CAD é tranquila e que o clube não será punido. (com Antonio Kurazumi) 

Por: Guilherme Menezes  (guilherme.menezes@abcdmaior.com.br)

Share on Google Plus

Sobre Breno Junior

Lado a Lado com o esporte do Grande ABC. Amante e entusiasta do Esporte no interior do ABCDM.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial