NOS PÊNALTIS, TIGRE É CAMPEÃO E SE CLASSIFICA À COPA DO BRASIL

São Bernardo foi mais feliz nas penalidades e provocou uma explosão de fogos na cidade

Em nove anos de história, o primeiro mata-mata decidido nos pênaltis. E que hora, que alegria para o torcedor do São Bernardo presente no estádio Primeiro de Maio na inesquecível noite deste sábado (23/11). Foi justamente dessa maneira tão injusta para tantos amantes do futebol e ao mesmo tempo tão prazerosa que o time do ABCD conquistou o
título da Copa Paulista após um empate por 0 a 0 com o Audax no tempo normal.
É um presente adiantado para o clube, que em em menos de um mês completará nove anos de história feliz por ter comemorado o segundo título no período – o primeiro foi a Série A-2 do Campeonato Paulista em 2012.
O São Bernardo não esperou o título cair nas mãos e agrediu o Audax desde o primeiro minuto, que se  recusa a dar chutões em direção ao campo de ataque – seguindo um modelo de jogo raro no País. Os mandantes formaram uma linha de quatro jogadores (com Judson, Felipe Matheus, Gil e Careca) à frente para atacar a saída de bola. Pareciam incansáveis. Fizeram isso por mais de meio tempo, mas a postura não resultou em chances de gols porque o adversário não errou.
O temporal que caiu no gramado do Primeiro de Maio atrapalhou a troca de passes, facilitando o trabalho das defesas. A primeira oportunidade surgiu em um contra-ataque, e a favor do Audax. Aos 23 minutos, Caio apareceu em boa condição para abrir a contagem, mas pegou mal na bola.
Logo na sequência o atacante Careca, aplicado na marcação, deu lugar à cria da base Walterson. O menino até que colocou fogo no jogo deslocado pelo lado esquerdo, tanto que no primeiro lance deixou Wilian Favoni livre para chutar ao gol. De canhota, ele bateu e a redonda foi desviada para escanteio por Felipe Alves. E terminou assim o primeiro tempo, com um São Bernardo superior e um Audax sem desespero.
A segunda etapa registrou, de cara, o “uhhh” mais alto até então no estádio. No primeiro minuto a zaga do Audax perdeu a posse da bola, Gil aproveitou e concluiu rasteiro, obrigando Felipe a fazer praticamente um milagre. Mas aí o nervosismo, fator recorrente em finais, deu as caras. O São Bernardo passou a errar muitos passes, dando oportunidade para que o Audax saísse em velocidade.
O silêncio tomou conta do público, que mal imaginava o próximo capítulo da emoção. Aos 33 minutos, Gil roubou a bola e encontrou Jean – substituto de Judson – na entrada da área. O meia chutou em direção ao corpo de Francis. O árbitro não hesitou e deu pênalti, alegando um toque de mão do volante do Audax. Gil, principal jogador do Tigre, assumiu a responsabilidade, caminhou devagar até a bola e chutou por cima do gol, injetando mais adrenalina ao jogo.
O São Bernardo não desanimou e ainda deu mais trabalho a Felipe. Em dois lances praticou excelentes defesas. 

Share on Google Plus

Sobre Breno Junior

Lado a Lado com o esporte do Grande ABC. Amante e entusiasta do Esporte no interior do ABCDM.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial