S. BERNARDO MAIS PERTO DE SE TORNAR A ‘CAPITAL DO ATLETISMO’

Centro de Atletismo irá ultrapassar fronteiras da cidade e servirá de referência no País

O piso da pista é semelhante a do Mundial de Berlim, os obstáculos (utilizados nos 110 m com barreiras) foram pulados nos
Jogos Olímpicos de Pequim e há um prédio de três andares, para médicos, fisioterapeutas e repórteres. Em tempos de Copa do Mundo até parece que descrevemos um estádio de futebol, mas em São Bernardo a expectativa dos munícipes é pela entrega do Centro de Atletismo professor Osvaldo Terra, quase pronto no antigo clube da Volks. Há poucos estádios de primeiro nível destinados à modalidade no País, nenhum tão moderno e novo - o que se equipara a ele é o de São Caetano, quartel-general da equipe BM&F Bovespa.

Resta apenas instalar os assentos (1.570 lugares ao todo) e a cobertura da arquibancada, trabalho rápido para os operários a partir do momento em que o material para a obra final chegar às mãos da OAS, empresa responsável. Os equipamentos necessários à prática do esporte estão trancados dentro do espaço reservado ao futuro Centro de Ginástica Artística. “Temos prazo de entrega até o fim do ano, a não ser que ocorram imprevistos (mau tempo ou atraso na entrega dos materiais)”, calcula o secretário de Esportes de São Bernardo, José Alexandre Devesa.

Quando o ABCD MAIOR foi ver de perto o estádio, o treinador da equipe ASA (que representa São Bernardo) e que acompanha cada detalhe, Otaviano Caetano, pediu que limpássemos os pés com a sola cheia de barro devido às reformas do lado externo. Não é por menos. Dá até vontade de correr na pista de cor azul importada da Alemanha, sintética, idêntica a que o jamaicano Usain Bolt bateu os recordes mundiais dos 100 e 200 m em 2009. “Não acredito que esse piso favoreça para bater recordes. Há outros iguais nesse ponto”, descarta Caetano. As raias já estão até demarcadas, ali faltam os corredores.

Em caso de chuva, o treino não será perdido pelos atletas. Há uma pista coberta, com cinco faixas e que ficará inutilizada apenas para as provas de lançamento. No mesmo prédio há três andares, um para médicos, fisioterapeutas e uma sala de doping, outro de cunho administrativo e o terceiro onde haverá uma área a convidados e espaço para os jornalistas.

É previsto que 60 pessoas trabalhem diariamente para deixar o Centro de Atletismo em ordem, colocando nessa conta serviços de limpeza, segurança, médicos, fisioterapeutas e os próprios técnicos. Custará R$ 3,5 milhões anuais aos cofres municipais bancar esses profissionais e as equipes da cidade. A administração mantém conversas frequentes com a CBAt (Confederação Brasileira de Atletismo) e a iniciativa privada para diminuir os valores.

Os integrantes da seleção brasileira, volta e meia, deverão treinar para competições lá, e é bem provável que algumas das etapas do Troféu Brasil, maior campeonato realizado no País, sejam lá também – até pela carência de opções de qualidade. “Nosso acordo com a Confederação Brasileira está bem adiantado. A seleção vai se concentrar sempre aqui, ela até está vendo imóveis para alugar”, revelou Caetano.

Para todo o Brasil

E a ocupação dessa área tão valiosa? 500 pessoas diferentes passarão pelo estádio toda semana, três mil por mês. A ideia, inclusive, é fazer com que atletas de outros esportes visitem o local, para que aperfeiçoem as técnicas de corrida e salto.

“O bairro (Vila do Tanque, onde está instalado o centro de treinamento e é carente) vai ser assistido (contemplado) com núcleos de iniciação, categorias de base e visitações com o objetivo de fomentar a cultura do atletismo na Região”, prometeu Zé Alexandre, acrescentando que o convite valerá para toda a população, que desconhece o esporte. “Temos um projeto, dependendo de parceiros, para implementar de 10 a 20 núcleos de atletismo pela cidade, utilizando escolas e campos de futebol”, completou.

Mas o secretário de Esportes quer abrir o equipamento ao Brasil inteiro. “Tenho uma visão mais abrangente. Hoje estamos num grau de expressão esportiva no País, que também temos responsabilidade. Queremos passar das fronteiras do município para contribuir nesse sentido”, avisou. Com o apoio de patrocinadores, São Bernardo espera fechar com reforços de peso, até para se transformar na capital do atletismo. 
Campeão olímpico deve treinar na cidade em 2014
Detalhes separam a delegação francesa de um período de treinos no Centro de Atletismo em 2014, de acordo com Otaviano Caetano. O campeão olímpico no salto com vara em Londres 2012, Renaud Lavillenie, é um dos nomes que lidera a seleção. 
“Recebemos a delegação francesa há duas semanas. Eles farão um total de cinco campings aqui até as Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro. Eles também visitaram São Caetano e o Centro Olímpico, mas deram a entender que querem fazer os cinco aqui. Devemos receber de 10 a 15 delegações até 2016”, acredita Caetano. O Centro de Atletismo, por sinal, está credenciado para receber seleções em treinamento no hiato pré-Olimpíada.
O antigo clube da Volks virará o principal ponto para a prática esportiva em São Bernardo, porque ali também serão inaugurados em breve os Centros de Handebol, com direito a alojamento para 149 pessoas, refeitórios e duas quadras, e de Ginástica Artística, que deve receber atividades da seleção brasileira masculina, comandada pelo campeão olímpico Arthur Zanetti. 

Foto: Andris Bovo 

Share on Google Plus

Sobre Breno Junior

Lado a Lado com o esporte do Grande ABC. Amante e entusiasta do Esporte no interior do ABCDM.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial