EQUIPE AGRIDE ÁRBITRO E É EXPULSA DA COPA AMIZADE

Vila Suissa, de Ribeirão Pires, foi eliminado pelos organizadores por problema de disciplina em Mauá

O futebol amador do ABCD registrou no último domingo (26/01) o primeiro caso de violência contra árbitros em
2014. O pavio queimou no jogo entre o Vila Suissa, de Ribeirão Pires, e o mauaense Dínamo, no campo do São João (em Mauá), pela terceira rodada da Copa Amizade. De acordo com a súmula do árbitro Sebastião Aparecido Martins, a agressão partiu do massagista do Vila, Leonardo Deivid.
A confusão, no entanto, teve origem depois da expulsão de André, também do Vila. Inconformado, o atleta teria jogado terra (do próprio campo) na cara do juiz. Aí apareceu Deivid, que não hesitou em desferir um chute em Martins. No fim, a partida prosseguiu e terminou em 4 a 1 para o Dínamo, atual campeão.
O caso foi para a comissão organizadora da Copa Amizade, que expulsou o Vila Suissa baseado no regulamento da competição. “Não permitimos qualquer tipo de agressão. Eles seriam expulsos só pela atitude do André. Eles não disputarão mais o campeonato e o André pegará dois anos de suspensão”, adiantou o presidente da Liga de Futebol de Mauá e um dos organizadores do torneio, Aparecido Vicente Dias, o Tchaca. Ele revelou que o representante de Ribeirão é reincidente, pois já tinha sido eliminado pelo mesmo motivo em 2010.
O presidente do time punido, Danda Wagner Araújo, foi procurado para dar a sua versão, mas não respondeu às ligações do ABCD MAIOR. O próprio dirigente assumiu em declaração à Folha de Ribeirão Pires que os integrantes do Vila perderam o controle. “Infelizmente devido à má conduta da arbitragem, que insiste em prejudicar algumas equipes e apitando de forma caseira, um de nossos atletas e um de nossos dirigentes acabou por agredir o árbitro de forma tentada”, desabafou Araújo.
O presidente da Liga de Futebol Amador de Ribeirão Pires, Miguel Barbosa, disse que escutou uma versão diferente de pessoas próximas ao time eliminado. “Me falaram que não chegou a tudo isso”, resumiu.
Sobre um suposto benefício ao Dínamo, que na teoria atuava em casa, Tchaca se irritou e diz que os presidentes dos clubes deveriam se preocupar com as atitudes de seus jogadores. “É fácil para o dirigente transmitir responsabilidade em cima da arbitragem, ao invés de punir os atletas que exageraram. Se o juiz fosse caseiro, o Juá que é a minha equipe de coração seria campeão todo ano”, rebateu Tchaca.
A Copa Amizade, que está na 18ª edição e também tem a participação de agremiações de Santo André, Rio Grande da Serra e São Paulo, tem sequência neste domingo (02/02). 

http://abcdmaior.com.br/noticia_exibir.php?noticia=56735
Share on Google Plus

Sobre Breno Junior

Lado a Lado com o esporte do Grande ABC. Amante e entusiasta do Esporte no interior do ABCDM.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial