RAMALHÃO ESTREIA COM VITÓRIA TRANQUILA NA A-2

Santo André começou devagar, mas embalou durante o jogo e derrotou o Guaratinguetá por 2 a 0

A torcida do Santo André matou as saudades do time do coração na manhã deste sábado (25/01), no estádio Bruno José Daniel, e voltou feliz para casa. O Ramalhão, que não jogava desde
setembro, passou por cima do Guaratinguetá na estreia da Série A-2 do Campeonato Paulista com uma vitória por 2 a 0. Disputado em formato de pontos corridos, o Estadual tem sequência para o campeão da Copa do Brasil na quarta-feira (29/01), contra o Red Bull, em Campinas.
Estreando sete reforços em um jogo oficial, o Santo André demorou a se impor no novo gramado do Brunão. O toque de bola raramente tinha uma sequência apesar do estado quase impecável do piso e, no fim, predominavam os cruzamentos à área. O primeiro chute a gol só saiu aos 15 minutos, um petardo de fora da área do lateral-esquerdo Alisson, outro estreante, que passou raspando a trave.
Para quem gosta de tática, a equipe do ABCD se postou num 4-1-3-2 sem a posse de bola, com Renato Peixe ajudando na marcação pela esquerda e Marcinho Guerreiro mais recuado no meio, e ficava num 4-4-2 com a redonda, aí com o ex-jogador do São Bernardo ajudando Michael na armação. Mas quem apoiava com mais qualidade o ataque era o volante Diogo Orlando.
O Ramalhão até concluiu duas vezes em chutes de Michael e Müller Fernandes, mas o primeiro pulo de alegria dos torcedores veio aos 34 minutos. Depois de cobrança de lateral, Nunes desviou a bola para Müller, que saiu na cara do gol e só teve o trabalho de chutar longe do alcance do goleiro Carlos Luna.
Daí em diante o Santo André foi dono do jogo, entrando com facilidade na área do Guaratinguetá. Foram mais duas oportunidades de ouro antes do intervalo.
O anfitrião voltou ao segundo tempo um pouco mais recuado, apostando nos contragolpes. E a proposta deu certo. Não precisou de muito tempo para sair o segundo. Tudo começou numa cobrança de escanteio do Guará. A zaga andreense afastou e o “garçom” Nunes lançou o veloz Müller, melhor em campo. Em velocidade e sozinho, o baixinho driblou o goleiro e acabou derrubado: pênalti e expulsão de Luna. Na cobrança, Nunes chutou no meio do gol, sem chances para o reserva Gisiel.
O sol não deu descanso em nenhum momento, então os mandantes administraram o placar, afinal a segunda partida já é daqui a quatro dias.
Maratona
Após o jogo no Brunão, o técnico Roberto Fonseca enalteceu o elenco, inclusive dando parabéns ao trio Ramalho, Elvis e Chico, que entrou na segunda etapa e se doou bastante. Para ele, justamente o grupo pode ser um diferencial para encarar uma sequência dura de duelos – dois por semana e muitas vezes em cidades distantes.
“A montagem tática que nós trabalhamos (oscilando entre um 4-4-2 e 4-3-3 na sua visão) foi seguida fielmente pelos jogadores. A própria estreia traz dificuldade e há um peso maior ainda quando é em casa, mas cumprimos nosso objetivo”, opinou o treinador, antes de fazer uma análise do campeonato como um todo. “Temos uma sequência de 11 jogos até o carnaval. Aquela equipe que tiver as trocas e o lado físico bem, vai ter vantagem sobre os demais. Não é um time que vai ganhar a A-2, é um grupo”.
O dia foi especial para o atacante Nunes, que reestreou pelo clube que o projetou no futebol e correspondeu, marcando um gol e dando passe para o outro. “Quando jogamos com o coração e em um clubeque amamos, fazemos o melhor e o trabalho flui. Fico à vontade e meu futebol cresce quando estou aqui. Fui bem em outros lugares, mas no Santo André é diferente, fui criado aqui. Meus melhores jogos e maiores conquistas foram aqui” 

http://abcdmaior.com.br/noticia_exibir.php?noticia=56631

Share on Google Plus

Sobre Breno Junior

Lado a Lado com o esporte do Grande ABC. Amante e entusiasta do Esporte no interior do ABCDM.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial