RAMALHÃO QUEBRA SEQUÊNCIA DE EMPATES COM VITÓRIA NO BRUNÃO


Santo André vence o lanterna São José e está firme na briga pelo acesso à elite do Paulista, mas teve polêmica

O Santo André fez as pazes com a vitória na tarde deste sábado (15/03), no estádio Bruno José Daniel. Após um primeiro tempo preocupante, o Ramalhão deslanchou nos
45 minutos finais e construiu a vitória sobre o São José, lanterna da Série A-2 do Campeonato Paulista, por 3 a 1. Os três pontos serviram de alívio, afinal a equipe vinha de três empates consecutivos.
A vitória recoloca o time do ABCD na disputa por uma das quatro vagas na divisão de elite do Estadual. A rodada será completada apenas no domingo (16/03), mas os andreenses sabem que  a distância de pontos para as equipes maisbem colocadas na tabela irá diminuir. Antes dessa 13ª rodada, o Ramalhão tinha seis pontos de desvantagem para o Red Bull, até então o primeiro dentro da zona de acesso.
O Santo André, entretanto, assustou os torcedores nos primeiros minutos, quando o São José criou duas oportunidades de gol. Em ritmo cadenciado e pouca intensidade, o jogo só apresentava alguma emoção quando o volante Ramalho e o lateral-esquerdo Renato Peixe tocavam na bola. Aos 15 minutos, Ramalho iniciou a jogada e tocou para Peixe, que chutou cruzado na pequena área. Ninguém apareceu para desviar às redes.
O lateral-esquerdo subiu bastante ao campo de ataque e quase fez o dele, aos 27, quando arrancou e chutou perto do ângulo do goleiro Ramom. Mas a melhor chance do Santo André surgiu com 41 de partida, quando, de novo Peixe, cruzou e deixou Felipe Alves sozinho. Quase debaixo da trave, o atacante cabeceou para fora.
Gols
O confronto seguiu da mesma maneira após o intervalo, lento, cadenciado e um tanto sonolento. No entanto, o Santo André chegou lá por meio de um escanteio. Renato Peixe bateu escanteio e o zagueiro Jonas, que já havia perdido duas oportunidades, subiu mais alto que a zaga do São José e desviou para o gol: 1 a 0.
Aí ficou fácil para o Ramalhão, que ampliou aos 26 com Nunes. Depois de bola roubada, Müller Fernandes avançou e encontrou Nunes sozinho dentro da pequena área. O camisa 9 só teve o trabalho de empurrar para o gol, fazendo o segundo. O próprio Nunes marcou o terceiro, de pênalti, na sequência. Anderson Ligeiro descontou para os visitantes.
Polêmica
O que era para virar um estopim para festa e comemoração entre os jogadores acabou se transformando em discussão, logo depois de o árbitro assinar o pênalti que gerou o segundo gol. Müller queria bater a penalidade de todo jeito, mas o cobrador oficial Nunes é quem prevaleceu. A história repercutiu nos vestiários.
"Não tem que ter discussão, sou o primeiro batedor e não adianta insistir. E, se eu não estiver, o Renato Peixe e o Michael estão na sequência da lista", declarou Nunes, acompanhado no raciocínio por Ramalhão, capitão da equipe, e o técnico Vilson Tadei. "O Nunes é o batedor oficial. O Müller se achou no direito, mas dei a ordem para o Nunes fazer a cobrança", confirmou Tadei.
Sobre a partida em si, Nunes e Ramalhão não gostaram do primeiro tempo e disseram que o Santo André jogou abaixo da média do que vinha apresentando. 

http://abcdmaior.com.br/noticia_exibir.php?noticia=57779
Share on Google Plus

Sobre Breno Junior

Lado a Lado com o esporte do Grande ABC. Amante e entusiasta do Esporte no interior do ABCDM.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial