DER E PALESTRINHA: QUEM SERÁ O MELHOR DO TERRÃO?

Equipes fazem no domingo final cercada de expectativas em São Bernardo

O DER não se aguenta de expectativa e ansiedade, afinal já se vão 19 anos sem um título. Corre na internet um vídeo da equipe, ao estilo motivacional, com imagens e depoimentos dos
jogadores durante a campanha na Divisão Especial de São Bernardo. A maioria do público presente no estádio Primeiro de Maio, no domingo (27/07), estará torcendo pelo time, mas do outro lado haverá um adversário de respeito e acostumado a decisões, o Palestrinha, do Jardim Nazareth. Esse é o contexto da final do maior campeonato de futebol amador de São Bernardo e também um dos mais badalados do Estado.
O último jogo da Especial terá como palco um estádio com gramado dos bons, mas os dois times mandam suas partidas no terrão, que é a essência da várzea. Por uma dessas ironias, o campo do DER é vizinho ao Primeiro de Maio e isso apenas favorece a presença de sua fervorosa torcida, certamente em maioria esmagadora no domingo. Se já não bastassem os fãs fiéis, a comunidade é aliada a torcidas de cidades vizinhas (o profissional Água Santa, de Diadema, é um exemplo).
O DER derrubou um jejum de 13 anos ao voltar à decisão, depois de eliminar os 11 Unidos. No plantel, há jogadores que fizeram carreira no exterior: Índia, Irã, em outros países da Ásia, América do Sul e até no Boca Juniors (Luciano Piolga), informa o vice-presidente, Marcos dos Santos, o Bola. No ataque, Hulk. Ele é parecido fisicamente com o xará famoso que jogou a Copa pela Seleção, mas marca gols. Tem tanto faro de gol que é o artilheiro da competição com 13 gols.
As decepções do passado ficaram de lado com um rigor nas finanças. A diretoria se orgulha de ter gasto menos neste ano e de ter contratados atletas mais qualificados. “Campeão ou não faremos festa no domingo porque nossos jogadores fizeram por merecer”, prometeu Bola.
Velhos conhecidos - O Palestrinha traz para a decisão pré-requisitos de colocar medo no oponente. Há sete integrantes do elenco atual que foram campeões pelo time no último título, em 2010, inclusive o técnico Diogo Ponce.
“Temos um grupo de pessoas que se respeita. É normal na várzea ver atletas do banco de reservas cornetando os companheiros. Aqui é diferente, um apoia o outro”, revelou Ponce, que não nega o elevado investimento para a Especial (de R$ 40 mil a R$ 45 mil). 
“Temos a melhor defesa, que tomou menos de um gol por jogo na média, e dois atacantes diferentes, o Preto e o Hugo. Não temos torcedores praticamente, mas isso não fará a diferença”, avisa o treinador.
Não haverá disputa de pênaltis. Com melhor campanha, o DER desfruta da vantagem do empate. 
Problemas com árbitros e torcedores - Com quase seis meses de duração, a Divisão Especial de São Bernardo teve problemas mínimos, de acordo com o presidente da Liga de Futebol Amador da cidade, Saul Lino. O dirigente, porém, ouviu reclamações a respeito dos árbitros escalados para os jogos e condenou atitudes violentas de torcedores.
“Sempre vai ter problemas em um campeonato de seis meses, mas foram coisas mínimas”, ressaltou em entrevista recente ao ABCD MAIOR. “A reclamação é sempre em cima da arbitragem, que é ruim em todos os lugares. Dentro de campo, não houve confusões, os problemas foram causados pelas torcidas. Tivemos alguns casos de invasão de campo, os Unidos do Morro foram até punidos com perda de mando de campo por causa disso”, disse Lino.
Se a Especial acaba neste domingo, a Primeira Divisão está em momento de decisão e restam apenas oito times na briga pelo título, sendo que os semifinalistas serão conhecidos no fim de semana. 

http://abcdmaior.com.br/noticia_exibir.php?noticia=60725
Share on Google Plus

Sobre Breno Junior

Lado a Lado com o esporte do Grande ABC. Amante e entusiasta do Esporte no interior do ABCDM.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial