"BAIXINHA", THAISINHA SUPERA RIVAIS E É DESTAQUE NO VÔLEI DE SÃO CAETANO

 

Ponteira de 1,74 m é uma das principais pontuadoras da equipe do ABCD na Superliga apesar da baixa estatura para a sua posição

Uma mulher de 1,74 m de altura pode ser considerada alta para os
padrões brasileiros. No entanto, Thaisinha, apesar desta estatura, sofre gozações das companheiras por ser considerada uma das atletas mais baixas da Superliga feminina de vôlei.
Ponteira do São Caetano, ela perde na altura para as jogadas da mesma função. A média para a posição da jogadora é de 1,85 m de altura. Mesmo com a estatura abaixo dos padrões, Thaisinha é um dos destaques do time do São Caetano na competição.
Ela compensa o pouco tamanho em quadra com muita eficiência e potencial no ataque. É sempre uma das maiores pontuadoras das partidas e dos campeonatos que disputa. Faz, em média, de 28 a 30 pontos por jogo, fruto dos seus treinamentos fora de quadra. 
Na academia, ela também se destaca entre as colegas de equipe. Levanta, em média, 500 kg no legg press, equipamento utilizado para a prática de exercícios com as pernas. Também é uma das jogadoras que mais levanta peso com os braços. 
“Não me preocupo com este fator estatura, pois consigo tirar a diferença saltando. Tenho uma boa impulsão e consigo atacar como as jogadoras de 1,90 m. Para me destacar, eu procuro treinar bastante e na academia procuro fortalecer minha musculatura, que ajuda na impulsão e na força dos ataques”, justifica Thaisinha, em entrevista exclusiva ao ABCD MAIOR.
“Minha posição é ponteira, e meu ponto forte é o ataque. Consigo atacar bem com minha impulsão e força nos braços. Também nunca sofri contusões que me tirassem de partidas e isso sempre me ajudou na sequência de jogos e nas pontuações”, completa.
Natural de Monte Azul, em Minas Gerais, Thaís Custódio de Souza, de 26 anos, iniciou a sua carreira nas categorias de base do Mackenzie aos 15 anos e ainda conta com passagens pelo São Bernardo, Pinheiros e Minas. Desde que se profissionalizou, a jogadora já comemorou o terceiro lugar da Superliga, na temporada de 2008/09, e o título de campeã paulista, em 2009, com o Pinheiros.
E, apesar das conquistas na sua ainda curta carreira, Thaisinha sempre ouviu muitas brincadeiras e até desconfiança por causa da sua estatura. Porém, para ela, isso sempre serviu de motivação extra para atingir os seus objetivos.
“Elas [companheiras] sempre brincam comigo, mas não estresso, levo na brincadeira. Quando comecei, muitos não acreditavam no meu potencial, mas mostrei dentro das quadras que minha altura não interferia em nada”, aponta.
A ponteira já está no São Caetano há três temporadas e recorda que a tradição do time do ABCD em sempre participar das principais competições do Brasil pesou na hora da sua escolha profissional.
“Eles me viram jogando no Minas e me convidaram. Eu gostei da proposta e acreditei que seria um bom time para jogar, pois está sempre disputando os principais campeonatos do Brasil como o Paulista e a Superliga”, explica a jogadora.
Irregular, time do ABCD briga por vaga nos playoffsApesar de contar com o destaque individual da ponteira Thaisinha, o São Caetano faz uma campanha bastante irregular nesta atual edição da Superliga feminina de vôlei.
Em 16 partidas que disputou até agora na competição, a equipe do ABCD obteve oito vitórias e oito derrotas. Perdeu 34 sets e ganhou apenas 29. Com isso, ocupa atualmente a oitava posição da tabela, vaga que assegura a classificação para a próxima fase do torneio.
Isso porque, ao final desta primeira fase, as oito equipes mais bem colocadas estarão classificadas para as quartas de final, etapa em que acontecerá o cruzamento do 1ºx8º, 2ºx7º, 3ºx6º e 4ºx5º, em sistema de playoff de três partidas. 
“A equipe está evoluindo bastante [na competição]. No ano passado, fomos vice-campeãs do Paulista e dos Jogos Abertos”, lembra Thaisinha.
Com o time da Região, a jogadora estará em quadra nesta terça-feira (10/02) para o confronto diante do Praia Clube, de Minas Gerais. A partida está marcada para as 19h30, no ginásio Lauro Gomes.
“Acredito que podemos surpreender na Superliga como no Paulista do ano passado, pois é um ótimo grupo e estamos crescendo na competição. Apesar de a Superliga ser o campeonato mais difícil do Ppaís, nossa equipe está bastante motivada e confiante”, aposta. 

Foto: Andris Bovo

Fonte: http://abcdmaior.com.br/noticia_exibir.php?noticia=64691
Share on Google Plus

Sobre Breno Junior

Lado a Lado com o esporte do Grande ABC. Amante e entusiasta do Esporte no interior do ABCDM.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial