Alex Silva diz que foi queimado no Tigre por grupo de jogadores

Zagueiro rescindiu o contrato com o São Bernardo nesta quarta-feira após briga com a torcida

 
Alex Silva não joga mais no São Bernardo. O defensor, ex-São Paulo, Flamengo e Seleção Brasileira, teve discussão pesada com
torcedores do Tigre na última sexta-feira (27/02) e foi acusado de dividir o grupo, rachar no linguajar do futebol. Afastado em um primeiro momento pela diretoria, o zagueiro entrou em acordo com o clube e rescindiu o contrato nesta quarta-feira (04/03). 
Chateado com a situação, Alex não deixou de dar a sua versão da história em entrevista exclusiva ao ABCD MAIOR e diz que foi usado para desviar o foco dos maus resultados. “Respeito a decisão (do presidente Luiz Fernando Teixeira), mas estou magoado. Quanto à briga, eu realmente poderia não ter agido daquela forma, só que fui para defender os jogadores, o Boaro, o clube, e não para expor negativamente a camisa do São Bernardo. Tinha torcedor xingando o treinador já antes do jogo. Fui pedir respeito e também pedi para me cobrarem, já que sou um atleta rodado. Sempre fiz isso em todos lugares que passei. Porém, entenderam de outra maneira”, explicou.
Em entrevista na terça-feira (03/03), Luiz Fernando disse que ficou sabendo, em conversa com alguns jogadores, que Alex Silva rachava o grupo. O zagueiro desabafou sobre o assunto, citando um complô contra ele. “Nunca fui de rachar grupo nenhum. Garanto que 95% do elenco do São Bernardo gosta de mim. Pode perguntar. Agora, três atletas talvez não gostassem, ficaram enciumados e podem ter me queimado. Não participei desta reunião em que houve esta conversa entre o elenco e apresentaram o meu nome como o que atrapalhava. Se fui citado, o correto era ter a chance de me defender, falar sobre o assunto, olhando para todos. Não tive essa chance, o presidente nem sequer conversou comigo, não nos falamos olho no olho. Fui comunicado e só. É mais fácil tirar o foco do mau momento do time e deixar em cima do Alex Silva”, enfatizou. 
Luiz Fernando afirmou que o afastamento aconteceu por conta da briga com os torcedores, e não pelo fato do possível racha no elenco, mas que o fato, uma vez solucionado, já havia melhorado o clima.
“A equipe começou a perder e eu me tornei o problema. Joguei apenas dois jogos os 90 minutos. Se eu sempre fui este problema todo, por que não resolveram lá atrás? Vamos ver agora se o problema era realmente eu. Não vou torcer contra, tenho amigos no clube. Mas reafirmo: nunca fui jogador de rachar grupo. No Flamengo, em 2012, queriam derrubar o Luxemburgo (técnico). Eu afirmei que não ia participar daquela sacanagem e no outro dia peguei minhas coisas para sair do clube. A psicóloga do São Bernardo é a mesma do São Paulo, e ela me diz que até hoje perguntam sobre mim lá. E eu racho grupo?”, questiona.
A reportagem apurou que Alex Silva era visto como um atleta sem comprometimento e individualista. 
“Eu mudei daquele jogador que ia para a balada, que bebia. Hoje estou indo à igreja, estou centrado e aprendi a esperar, ter paciência”, garante o zagueiro, que não deixará saudades, e fechou com o Brasiliense até o fim do Estadual do Distrito Federal.
Em campo - Com o argentino Cañete, que chegou a ser cobrado de forma mais ríspida pela diretoria, o Tigre se prepara para enfrentar o São Bento, neste sábado (07/03), às 16h, no estádio Primeiro de Maio. Na lanterna do grupo A do Paulista, o Tigre espera retomar o caminho das vitórias para ainda sonhar com a vaga na Série D do Brasileiro, ou pelo menos para não passar sufoco com um possível rebaixamento. 
“Acredito que depois de tantas lesões que nos atrapalharam, e todos estes problemas que passamos também fora de campo, o São Bernardo comece um novo caminho no campeonato. Creio em uma vitória e jogando bem”, aposta o presidente. 

Fonte:  http://abcdmaior.com.br/noticia_exibir.php?noticia=65089
Share on Google Plus

Sobre Breno Junior

Lado a Lado com o esporte do Grande ABC. Amante e entusiasta do Esporte no interior do ABCDM.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial