Água Santa entra para a história e está na elite do futebol paulista

Netuno fez festa em Rio Claro para comemorar o acesso no Campeonato Paulista da Série A-2
 
Histórico! Esta talvez seja a melhor palavra para descrever o que o Água Santa cravou na memória do futebol paulista, de grandes times como Corinthians, Palmeiras, São Paulo, Santos. Ao lado destes clubes, em 2016, o time de Diadema, ao lado do São Bernardo, vai representar o
ABCD no Campeonato Paulista da Série A-1.
Em apenas dois anos e meio de vida profissional, e pouco mais de 70 jogos, o Netuno deixou sua marca conquistando três acessos consecutivos, fato inédito para uma equipe que deixou de ser amadora para brilhar em pouquíssimo tempo.
A consagração final aconteceu na manhã deste domingo (03/05), em Rio Claro, com a derrota para o Velo Clube por 1 a 0, mas que ainda assim garantiu matematicamente o acesso à Série A-1 do Campeonato. A equpe de Diadema terminou a Série A-2 na quarta colocação com 35 pontos.
Há diversos nomes para serem citados para que o trabalho rendesse frutos em tão curto espaço de tempo. O principal, talvez, seja do técnico Marcio Ribeiro, espécie de faz-tudo do Água. Treinador, por vezes dirigente, coordenador, e qualquer outra função que lhe fosse concedida. Desde o início do projeto está no comando e todos esperam que esteja no ano que vem mais uma vez xingando ou incentivando seus atletas. Russo, o experiente volante, Francisco Alex, o maestro do time, Rafael Martins, o artilheiro.
Todos levaram o nome do clube ao lugar mais alto, sem contar, obviamente, a torcida. Com média alta de público, contando com mais de 5 mil pagantes em casa, e cerca de mil nas partidas no Interior, a equipe de Diadema pode se gabar de ter torcedores de verdade.
Porém, nem tudo são flores. Durante o ano de 2015, o estádio do Inamar se tornou mais um problema do que um fator de ajuda. Com gramado ruim, dimensões ainda fora do ideal, e pouca infra-estrutura, o espaço por pouco não se tornou um pesadelo para o Netuno. Apesar das arquibancadas cheias, o time sofria para vencer suas partidas sob seus domínios. A esperança é de que as prometidas reformas deem um verdadeiro jeito no local e que possa receber os jogos da elite com melhores condições.
O jogo - Para bater o martelo e ficar com a vaga entre os melhores de São Paulo, o Água fez o seu papel diante do Velo Clube. Na primeira etapa, em um embate de poucos espaços, a qualidade técnica dos visitantes se sobressaia. Rafael Martins teve chance clara de gol, mas praticamente recuou nas mãos do goleiro Rafael. Batista arriscou de longe e também deu trabalho. Julio Madureira, debaixo do gol, chegou a acertar a trave. A superioridade era visível.
O segundo tempo manteve o mesmo ritmo. Em poucos minutos, Jonathan deixou Madureira na cara do gol, mas o atacante desperdiçou. Depois o avante rolou para Francisco Alex bater colocado e parar em grande defesa do arqueiro. A resposta veio em chute de Judson, ex-São Bernardo, para boa defesa de Mauricio. Porém, aos 15 minutos, o Velo conseguiu o gol que o tirava do rebaixamento. Tiago Bernardi, de cabeça, abriu o placar.
O técnico Marcio Ribeiro teve que fazer duas alterações por contusão. Guina e Jonathan receberam entradas e se machucaram. Serginho e Cicero entraram, fazendo o time mudar o esquema de jogo. Sem precisar forçar nada, o jogo se estendeu até o apito final para a festa de jogadores, comissão técnica e a torcida que lotou o setor correspondente aos diademenses. A comemoração prossegue no estádio do Inamar, em Diadema, repleta de azul e branco.

Fonte:  http://abcdmaior.com.br/noticia_exibir.php?noticia=66170
Share on Google Plus

Sobre Breno Junior

Lado a Lado com o esporte do Grande ABC. Amante e entusiasta do Esporte no interior do ABCDM.
Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial